Carro bom para viajar

É claro que quanto mais opcionais o carro tiver, melhor ele é pra viajar. Mas depois de vários quilômetros percorridos me sinto a vontade para sugerir o que você precisa para ter uma viagem realmente tranquila.

O motor 1.1 do Picanto se mostrou suficiente, já que dificilmente você encontrará estradas onde pode andar a mais de 120 km/h.

Ar condicionado é um item indispensável. Isso o Picanto tem. Mas seria melhor se fosse digital, para não precisar ligá-lo/desligá-lo várias vezes durante a viagem sempre que dentro do carro fica muito quente/frio. E aí Kia, quando vai vir Picanto com ar digital para o Brasil?

O câmbio automático, que o Picanto também tem, é uma característica que se demonstrou muito favorável à viagem longa. Filas e ultrapassagens ficam muito facilitadas quando o carro passa a marcha pra você :P

Mas tem uma coisa que o Picanto não aprovou. Ele, como vários outros carros importados, tem um estepe “temporário”. Ou seja, uma roda dentro do porta malas de mesmo diâmetro das demais, só que muito mais fina. Parece uma roda de moto, que vem escrito tanto no aro quanto no pneu: “velocidade máxima: 80 km/h”.

Na viagem de Porto Seguro para Vitória, o pneu do carro simplesmente estourou (Continental #fail). Nossa sorte foi que furou bem na frente de um dos poucos postos de combustível da estrada. E que tinha borracheiro! Os mais otimistas podem falar que foi sorte. Os cristãos, como nós, podem chamar de providência divina. Os pessimistas vão achar que o borracheiro colocou pregos na estrada. Mas o rasgo no pneu não poderia ter sido feito por nenhum artefato. Foi algum problema na borracha mesmo :P

Nesse incidente, o borracheiro foi até o local onde estava o carro e colocou um pneu novo (novo de recém colocado no carro, mas na verdade era um pneu usado). Mas e se não tivesse um borracheiro por perto? Eu teria que colocar o estepe, continuar dirigindo a, no máximo, 80 km/h e para na primeira borracharia que encontrasse para corrigir o problema e colocar o estepe de volta no seu lugar. Se o estepe fosse um pneu normal, poderia continuar a viagem sem preocupações.

Se o seu pneu não furar no meio de uma viagem longa, o Picanto continua sendo um carro perfeito para isso :P

Confira também

Comentários

  1. Nem sabia que existia carro 1.0 (1.1 e 1.0 dá no mesmo) com cambio automático. Corolla 1.6 automático ja não é la essas coisas…. Respeito sua opinião sobre o picanto, mas recomendá-lo para viagens é um tanto contramão. É um carro exclusivamente para cidade. Os contras dele: muito apertado para todos os ocupantes, não tem como fazer viagens longas, desempenho sofrivel do 1.1 e ainda automatico, porta malas minusculo, suspensão conhecida por ser fragil e de pouca durabilidade. Um uno mille ainda consegue ser um custo beneficio bem melhor pelo preço e manutenção (apesar de não recomendar o carro para viagens). Nesses carros, uma viagem de 1.000km por exemplo, você chega acabado… A melhor opção seria pegar o dinheiro do picanto zero e comprar um corolla usado. Superior em todos os quesitos, o corolla consegue ser mais economico do que o picanto, para um motor 1.8.

    • Citei o Picanto no post porque foi o carro que usamos para viajar os quase 6.000 km pelo Brasil! Realmente o porta-malas é pequeno, mas pra duas pessoas viajarem foi o suficiente :) O maior defeito dele foi mesmo o estepe. Troquei ele com mais de 100 mil km e continuo recomendando o carro!

      Concordo com você que, quanto mais investir, melhor será o carro que você terá em mãos para viajar! Mas no meu caso eu só tinha o Kia Picanto mesmo ;)