Pousando em Vegas

Durante o vôo que tem aproximadamente 5 horas e 20 minutos de Miami até Las Vegas e um fuso de 5 horas em relação ao Brasil, resolvi checar como estava o tempo em nosso destino e comprovei que estávamos indo para uma sauna: min 25 e máxima de 41 graus!

Aproximando do pouso em Las Vegas, a cidade surge do nada. De repente, você começa a visualizar enormes construções bem no meio do deserto. Um tráfego enorme de aviões e helicópteros já informa que o movimento é grande.

Trem de pouso acionado, o coração acelera e a proximidade da capital do entretenimento leva a adrenalina a níveis elevadíssimos.

O avião pousa. Os passageiros, alvoroçados, tentam segurar a vontade de correr e descer da aeronave para não perder 1 minuto de diversão.

Já no desembarque no Aeroporto Internacional McCarran (LAS), a surpresa vem à tona. Já é possível entender porque Las Vegas é conhecida como a mundial do entretenimento. As máquinas de cassino já se impões no saguão do aeroporto e se estende até mesmo na área de bagagem. É tudo muito colorido e sonoro. A fisionomia das pessoas é das mais variadas. Algumas contentes, outras apreensivas, tudo em função do resultado do jogo.

Algo que me deixou muito perplexo foi a localização da esteira de bagagens. O local não é isolado para os passageiros recuperarem seus pertences despachados e a porta de saída já dá acesso à rua. É comum ver taxistas e empresas de turismo tentando angariar clientes em meio às esteiras. Ah, tem gente que esquece as malas circulando enquanto joga nos caça níqueis.

Não conseguindo segurar o queixo, nos dirigimos para o corner da empresa onde faria nosso transfer para o hotel . Passada a porta de saída do aeroporto, a cidade já se mostra imponente e agitada com a quantidade de shuttle’s e turistas das mais diversas nacionalidades.

Importante lembrar que as despesas já começam com as devidas gorjetas ou tips para o carregador de malas, motorista da van etc. 

Confira também

Comentários fechados.