Concórdia: berço de um dos maiores complexos alimenticios da América Latina

O maridão (@delcastanher) foi convidado para palestrar na 5ª Semana Acadêmica de Sistemas de Informação da UnC de Concordia. Logo percebi que seria uma ótima oportunidade para colocar mais uma cidade catarinense na minha lista de “cidades que conheço”. Aproveitei que eu tinha horas sobrando no banco de horas, pedi liberação do chefão e no dia 17 de novembro partimos para Concórdia!

Chegamos na hora do almoço e como não conhecíamos nada na cidade o Foursquare nos ajudou a escolher um restaurante: pelas dicas fomos ao 29 de julho. Comida caseira bem saborosa, com direito a sobremesa grátis (só no interior você encontra isso!)

A tarde seguindo minha listinha de pontos turístico que pesquisei no site da Prefeitura de Concórdia fomos visitar primeiro a praça Dogello Goss e a Igreja Matriz Nossa Senhora do Rosário. Tudo muito bem arborizado, limpo e tranquilo. As imagens noturnas que vi na internet destes locais todo iluminado é sensacional, pena que não teríamos a oportunidade de retornar a noite. Estacionamos o carro em volta da praça e o Ricardo tratou logo de se informar onde comprava o cartão da zona azul como estamos acostumados a chamar em Floripa, porém a senhora fez a maior cara de reprovação. Então reparamos que aqui chamam de área azul, talvez zona remeta a outro local. Ai que gafe!!!

Igreja Matriz Nossa Senhora do Rosário Concórdia

A segunda parada foi no Museu Histórico Hermano Zanoni. Apesar do museu estar em um local provisório até a nova sede ficar pronta, ficamos impressionados com a quantidade de peças e raridades encontradas. O Ricardo empolgou-se com o exemplar do primeiro macintosh e fez até gracinha no twitter. Nossos agradecimentos à Ivone, responsável pelo museu, que com uma simpatia contagiante mostrou ser verdadeiramente apaixonada pelo que faz e com muita paciência contou varias histórias e curiosidades.

Como o tempo era curto, tivemos que optar por apenas mais um local. Deixando infelizmente vários para uma próxima vez. Meu lado veterinária fez-me escolher como último ponto o Memorial Attilio Fontana, fundador da Sadia. Localizado na antiga residência do empresário, o memorial preserva as características da casa ao mesmo tempo que conta a histórias de uma das maiores empresas de alimentos do Brasil e do homem destacado como um dos empresários do século XX. Anexo ao memorial há um bistrô muito charmoso, onde tomamos um delicioso café.

Memorial Attilio Fontana Concordia

Programamos o GPS e partimos para a UnC, afinal este era o objetivo principal desta viagem. As palestras da noite eram Caindo na Real por Ricardo Delcastanher. Nem preciso dizer que foi um sucesso. E Processamento de Imagem em Java por Geordano Dalmédico. Sinceramente achei que ia ficar “boiando”, mas para minha surpresa o palestantre trabalhava na Embrapa e usou um exemplo totalmente da minha área. Foi super interessante e produtivo! Parabéns aos organizadores da Semana Acadêmica que, além de fazer um evento impecável, ainda mimaram os palentrantes com camiseta e vinho de presente.

Palestra Caindo na Real Delcastanher UNC Concordia

Após o evento é obvio que não podia faltar uma confraternização, então na companhia de Rodrigo, Bruna, Geordano, Professor Maximiliano e o Edson (@edsonfernandop) fomos à Lanchonete Parissoto. Foi muito legal trocar experiências com um povo tão gente boa e ainda ter a oportunidade de experimentar um lanche um tanto exótico X-Polenta!

X-Polenta Parissoto Lanches Concordia

Viagens de Casal no Parissoto Lanches em Concordia

De barriga cheia e feliz por um dia tão maravilhoso partimos rumo à nossa Curitibanos.

Confira também

Comentários

  1. Concórdia não chega a ser considerada uma cidade turística, mas recebe muito bem quem a visita.

    Esse post tem que servir de inspiração para aquelas pessoas que não conhecem os museus da própria cidade ;)