A difícil arte de comprar

Primeiro dia de compras e não compramos o carrinho. Esse, até agora, é o principal dilema.

Recomendo que pesquisem os carrinhos logo no início. São vários modelos e acessórios que nos deixam desnorteados. E claro, cada um com seu valor.

Antes mesmo de iniciarmos as compras, assim que pisamos na terra do Tio Sam, fizemos o check-in no hotel e fomos até a Macrobaby. Uma loja enorme onde se encontram todos os modelos de carrinhos, podendo testá-los e compará-los. E para esclarecer todos os detalhes, as atendentes são brasileiras.

Carrinho é uma coisa que demanda muito tempo. Você precisa andar com ele, ver como fecha, se é leve, pesado, fácil de manusear, confortável etc. Nunca acharemos o carrinho perfeito.

Ainda no Brasil, estávamos com a certeza de que o carrinho a ser comprado seria o Quinny Buzz. Chegando em Orlando, nossa decisão foi por água abaixo. Calma, vou tentar explicar o porquê desta mudança para não acharem que somos malucos. O Quinny Buzz, assim como os outros da Quinny são excelentes. Acabamento bom, visual moderno, clean, gama enorme de acessórios, conforto… Mas um detalhe que foi o fator de decisão: ao deitar o encosto, por ser uma peça inteira, o apoio do pé acompanha o movimento, ou seja, o bebê não consegue deitar pois o encosto não fica reto até os pés.

Prezando pelo conforto, começamos a ter olhos para outros modelos. Como há trocentos modelos, até agora, não decidimos qual comprar.

Em compensação, o que compramos de roupa, será necessário fretarmos um avião no retorno ao Brasil.

Vocês não fazem ideia de como as mulheres ficam consumistas nessa terra. A tal paquinha de promoção é igual isca para peixe. Elas não podem ver uma que enchem as sacolas.

Como há brasileiro, hein! Parece que Orlando será colonizada pelos brasileiros.

Algo inusitado aconteceu hoje com a gente. Uma senhora colombiana, ao nos ver andando com uma arara (isso mesmo, pedimos uma arara na loja para pendurar as roupas à medida que íamos escolhendo), começou a puxar papo e, no final, nos presenteou com uma roupinha amarela para o bebê sair da maternidade de acordo com uma tradição daquele país que lhe assegura sorte durante o crescimento.

No mais, estamos com o quarto do hotel cada vez menor.

Em breve, mais novidades.

20120506-221603.jpg

20120506-221657.jpg

20120506-221523.jpg

20120506-221512.jpg

Confira também

Comentários