São Paulo + GPS + Rodízio é teste pra cardíaco, amigo

Era uma manhã de segunda-feira chuvosa em São Paulo. Partimos do hotel na Paraíso de táxi rumo ao Consulado Americano para entrevista do visto. Nossos planos eram sair da entrevista, almoçar, passar no hotel e pegar o carro para voltar para Santa Catarina. Teria dado certo, caso nosso compromisso no consulado não tivesse levado 5 horas para ser concluído!

Dentro do táxi, voltando para o hotel, eram três da tarde e faltavam apenas duas horas para a lei do Rodízio entrar em vigor. Lei que proíbe carros com placas de final 1 e 2 de trafegarem na região central nas segundas-feiras. Finais esses, que coincidiam com a placa do nosso carro. Dentre semáforos desligados por causa da falta de energia, o taxista, muito solícito, me ensinava como sair da região da Paulista e ir em direção ao Túnel Ayrton Senna, que me levaria até a Regis. Pra ele parecia muito fácil, mas eu não me preocupara, pois tinha um GPS no carro.

Ao chegar no hotel, saímos apressados do taxi por causa da chuva, embarcamos em nosso carro no estacionamento e, GPS configurado, saímos dirigindo pela Vergueiro. Foi aí que eu tive certeza de que eu não tinha entendido nada que o taxista havia me falado. Apesar de não encontrar nada parecido com as descrições recebidas, mantive a calma, pois o mesmo GPS que havia nos trazido até ali não falharia em nos levar para casa.

Até que…

Até que o GPS que nos havia levado ao bairro da Liberdade, sei lá porque motivo, mandou virar a direita e entrar na Avenida Radial Leste-oeste nesse ponto:

Não haveria problema algum, SE NÃO ESTIVÉSSEMOS EM CIMA DE UM VIADUTO!

Aí começou o desespero com o GPS mandando voltar, eu tentando achar alguma lógica dentro do bairro que me levasse até a Radial, chuva, semáforos todos desligados e funcionárias da CET apitando pra tudo quanto era lado.

Só sei que, depois de muito dirigir segundo as ordens do GPS, começamos a PASSAR POR LUGARES QUE JÁ TÍNHAMOS PASSADO! Ignorei o GPS. Entrei na primeira avenida que encontrei e fui seguindo as placas que indicavam Régis Bittencourt e Ayrton Senna.

O que eu só fui descobrir duas horas depois, perto das 17:00 quando não podia mais trafegar em São Paulo com meu carro, é que as placas indicavam a RODOVIA Ayrton Senna, e não o TÚNEL. E que aquela Régis Bittencourt era a rodovia que levava ao RIO DE JANEIRO! E que eu teria que voltar TUDO QUE DIRIGI para encontrar as estradas que me levariam pro Sul.

Bom, foi assim que conhecemos Guarulhos e o Internacional Shopping Guarulhos. Passamos a noite na cidade e no outro dia, livres do rodízio, rumamos pro Sul guiados pelo mesmo GPS. Não foi a primeira vez que ele nos apronta e, provavelmente, não será a última…

Confira também

Comentários fechados.