Dicas valiosas para ter boas lembranças fotográficas da sua viagem

Não somos fotógrafos e estamos longe de entendermos algo desta arte. Isso se comprova pela nossa câmera fotográfica que é uma Sony Cyber-shot W55, comprada antes de casarmos (quase 5 anos!). Porém, em nossas viagens, gosto de trazer boas lembranças e para isso nada melhor que muitas fotos! Mas precisa ser foto de verdade, que fale por si só e não fotos que você precise ficar explicando…”aqui tinha um monumento bem bonito, mas não saiu na foto” ou “essa só aparece o fulano porque eu estava batendo a foto“. Por isso compartilho com vocês algumas dicas que recebemos/aprendemos antes de começarmos nosso adorável vício de viajar e que considero muito úteis para um bom viajante:

Tenha um Tripé sempre a mão (dica de Rosinete Costa): associado ao timer de disparo automático, o tripé permite fotografar o casal e não um só de cada vez. Afinal é viagem de casal ou de solteiro?! Além disso, permite ter a foto com o enquadramento que você deseja e não com a visão de uma caridosa alma que esta fazendo o favor de fotografar para você. Pois a pessoa acaba cortando parte do monumento/paisagem que você gostaria que também saísse na foto. Ou pior… que apesar de ter boa vontade, geralmente acaba fotografando apenas o rosto. Desculpe a franqueza e indelicadeza, mas se fosse para bater uma foto só do rosto você não precisaria ter viajado, podia ter tirado a foto em casa ;) Outra vantagem é que você fica independente para tirar quantas fotos quiser, coisa que não acontece quando você está de favor. Saiu de olhos fechados? Não gostou do cabelo? Não tem problema! Reprograme o timer e Xisssss!
Por exemplo:
Foto tirada por terceiros…(Espero que a pessoa que gentilmente tirou esta foto de nosso rosto não seja leitora do blog hehe)

ViagensDeCasal Foto tirada por terceiros

Foto tirada com tripé…

ViagensDeCasal Foto com tripé

Ah… nunca tivemos a infelicidade de  um engraçadinho passar e roubar a máquina, mas como ela fica sozinha no tripé há uma certa distância, é bom ficar sempre de olho. Apesar que em Brasília, nos permitimos usar o tripé até para fazer uma brincadeira com o monumento dos Calangos. Quem teria a cara de pau e coragem de entregar sua câmera a qualquer um da rua para tirar uma foto assim…

ViagensDeCasal brincando com tripéCompramos um tripé retrátil que é fácil de carregar e chega a altura de 1,50 metros. Uma altura boa para fotografar pessoas de corpo inteiro. Custou apenas R$ 50,00!

Dica Tripé Viagens de Casal

Está indo viajar e não deu tempo de comprar o tripé? Não se desespere! Sempre há um carro, mesa, muro ou qualquer coisa para apoiar a câmera e fazer aquela foto. Mas que isso seja provisório hein, por favor!

Fique mais próximo da câmera do que do monumento (dica de Amanda Delcastanher): geralmente as pessoas querem que a foto abranja todo o monumento/paisagem e acabam ficando bem próximo deste e longe da câmera o que permite uma foto na qual quase não se identifica as pessoas da foto. A dica é posicionar o tripé de modo que enquadre todo o monumento/paisagem e se posicionar mais próximo da câmera, de forma que você tenha nitidamente na foto você (visível) e o fundo.
Por exemplo:
Foto próximo do monumento e distante da câmera…

ViagensDeCasal fotogrando proximo ao monumentoFoto próximo do câmera e distante do monumento…

ViagensDeCasal fotogrando proximo a camera

Outra coisa que amo é fotografar comida e artesanatos, pois assim com os pontos turísticos acredito que também fazem parte da cultura do local. Mas, para este ainda não recebemos nenhuma dica específica de como fotografar. Vamos pelo nosso feeling e pela observação de boas fotos de outros sites. Já tentei procurar algumas dicas na internet, mas elas são sempre muito técnicas e direcionadas a blogs de comida, onde pode-se montar um estúdio e um ambiente para a apresentação da comida. Coisa que você não vai fazer num restaurante!   As melhores dicas que consegui, mesmo não sendo com objetivo de fotografar em viagens, foram no Blogs de Culinária e  as resumiria em: usar sempre a luz natural (não usar flash), fotografar na altura da comida ou num ângulo de 45º (nunca de cima) e colocar algum elemento para compor um contexto/ambientalização (colocar o prato próximo aos talheres ou ao guardanapo).

Ah… acho que nem precisaria dizer, mas bata quantas fotos achar necessário. Nada de ficar economizando. A época da máquina com filme já passou! E também, se possível, passe sempre as fotos para um computador/e-mail durante a viagem para evitar de ficar sem nenhuma foto caso algum imprevisto ocorra.

Bom, espero que tenham aproveitado as dicas e consigam belas lembranças da próxima viagem!

Confira também

Comentários

  1. Gostei das dicas.

    Realmente nunca havia pensado em como o tripé pode facilitar tanto e melhorar as fotos.

    É muito comum também numa viagem a 2, demorar para passar alguém ou não ter ninguém por perto para tirar uma foto e aí acaba-se perdendo a oportunidade.

    • Obrigada Lucas!

      Acabei esquecendo de comentar sobre essa parte do tempo perdido na espera de alguém que possa fotografar. Bem lembrado!

      Abraços,
      Vanessa

  2. Vim parar no seu site após digitar “dicas turísticas Buenos Aires” no Google, e acabei realmente parando por aqui… há dicas excelentes, adorei! Além do mais, também sou catarinense e eu e meu marido adoramos fazer esses passeios de fim de semana pelas cidades do estado. Sempre é possível descobrir algo interessante e bonito… e como se diz “no quintal de casa!”